Casa sustentável: o que considerar no seu projeto

Casa Sustentável

Está a pensar construir a sua casa sustentável? Enumeramos tudo o que necessita de saber acerca de casas sustentáveis, para auxiliá-lo no desenvolvimento do seu projeto. O nosso gabinete de arquitetura em Lisboa – spacelovers ajuda-o a implementar estes pontos, para usufruir dos benefícios provenientes de sistemas sustentáveis.

A arquitetura bioclimática surge presentemente como resposta às necessidades atuais do respeito pelo planeta terra. Estes dois conceitos estão cada vez mais presentes no desenvolvimento de projetos de arquitetura, sobretudo na forma de casas sustentáveis.

É necessário que haja uma alteração da mentalidade, ainda hoje fechada, para alterar o nosso estilo de vida e ter atitudes mais focadas na conservação do nosso planeta.

Infelizmente a construção é atualmente um dos setores que mais polui o planeta, pese embora surjam cada vez mais materiais, técnicas e aplicações sustentadamente adequadas que respeitam o ambiente. Como arquitetos, temos a responsabilidade de instruir os Clientes para as melhores soluções que visam a sustentabilidade das habitações.

O QUE DEFINE CASAS SUSTENTÁVEIS?

Casas sustentáveis erguem-se com base em materiais de origem controlada e sustentável, aplicados com técnicas de construção que visam a eficiência energética, promovendo uma relação mais saudável com o meio ambiente, com o intuito de garantir o bem-estar dos seus residentes durante o maior número de anos possível.

1 — Uma casa sustentável é uma casa eficiente em termos energéticos, tendo de adquirir pelo menos a classificação de A no certificado energético, seguindo o estipulado no Sistema de Certificação Energética dos Edifícios (SCE) com uma escala de 8 patamares entre o F e o A+, sendo o A+ a classificação de excelência e o F o de pior desempenho energético, implementado em Portugal em 2013 pelo Decreto-Lei n.º 118/2013 de 20 de agosto (tendo sido revogado, estando contudo em vigor o Decreto-lei 101-D/2020 em 1 de Julho)

É desta forma importante minorar o consumo de energia de cada habitação, controlando as perdas e os ganhos de energia, através da otimização de isolamento térmico, e medidas de controle a proteção.

2 — A dimensão do imóvel é outro dos aspetos a ter em consideração, sendo diretamente proporcional à energia que levou para ser construída e, naturalmente, a quantidade de energia que irá requisitar para o seu correto funcionamento.

No momento de se projetar uma casa sustentável, há que adequar a área da mesma à real necessidade dos seus utilizadores, limitando as áreas ao fundamental e conforto na habitação. Saber quantas pessoas irão utilizar a casa, para enquadrar e maximizar os metros quadrados construídos à necessidade de cada família, pois cada m2 não só aumenta o custo da construção, como eleva o consumo de energia, no momento de aquecer ou arrefecer o imóvel. O dimensionamento de casas sustentáveis é um aspeto muito importante.

3 — O tempo de vida de uma construção é um fator que importa referir, pois quanto mais alongada for esta distância temporal, dividida pela energia dispensada na sua construção, garantidamente que terá menos impacto no meio ambiente.

Paralelamente, se o consumo de energia que uma casa for menor, então temos a equação perfeita para uma economia de energia que se prolonga mais no seu tempo de vida, dando às casas sustentáveis o reconhecimento acertado aquando do seu investimento inicial.

Reduzir a pegada ecológica é outro dos elementos, e que todo o indivíduo terá de se consciencializar. Cada ação tem repercussões no ambiente, não bastando ter uma casa sustentável. Temos de estabelecer medidas na utilização das habitações, assim como no dia-a-dia de cada um, onde a escolha do que se adquire por exemplo no supermercado, como detergentes amigos do ambiente, produtos com menos utilização de plástico, etc, conjugado com uma eficiente reciclagem, incrementado pela plantação de árvores e/ou arbustos, ou simplesmente pela realização de uma boa e eficiente manutenção da sua casa (eliminar autoclismos e torneiras a pingar, limpeza de ralos, lubrificação de mecanismos, entre outros), poderá então ter um exponencial e efetividade de menor impacto no planeta.

QUAIS AS CARACTERÍSTICAS DAS SUAS CASAS SUSTENTÁVEIS?

A — LOCALIZAÇÃO DO PROJETO

Um projeto de casa sustentável inicia-se com a escolha da localização do terreno e implantação da construção. Construir fora de zonas onde existe algum tipo de necessidade de preservação ambiental, evitando o impacto da construção na envolvente. Proximidade com transportes públicos e, zonas com comércio, pois desta forma evita-se usar o automóvel no momento de efetuar uma deslocação, reduzindo naturalmente a emissão de gases poluentes para a atmosfera.

B — SISTEMAS DE GERAR ENERGIA OU AQUECIMENTO DE ÁGUAS

A implementação de sistemas que geram energia, é sem dúvida uma mais-valia, não só para a propriedade, mas para a redução de recursos ambientais e para o cumprimento das metas estipuladas e garanti edifícios nZEB. A aplicação de painéis solares ou hélices de captação de vento, poderão ser elementos que fazem reduzir a fatura da luz e que a longo prazo têm naturalmente impacto nos custos de vida dos seus habitantes. O uso de painéis solares de aquecimento de águas é já um requisito nos projetos de construção nova.

C — SISTEMAS DE RECOLHA DE ÁGUAS

A água potável é um dos bens mais importantes e escassos do nosso planeta. A reutilização das águas das chuvas é algo que hoje em dia se consegue fazer com a devida recolha e canalização para depósitos de água, com o auxílio de bombas, permite a rega de jardins ou lavagem automóvel. A reutilização das águas dos lavatórios e banho/duche podem também estas ser reaproveitadas para encher os depósitos e tanques de sanitas. Estas questões têm naturalmente de ser levantadas e contempladas em fase de projeto para a correta implementação dos sistemas.

D — REDUÇÃO DE CAUDAL

Hoje em dia, os equipamentos sanitários já dispõem de mecanismos de redução de caudal, fazendo com que o consumo de água seja mais controlado, como são os sistemas de descarga dupla de sanitas ou mesmo torneiras com redutores de caudal, ou mistura de ar com água.

E — DIMENSÃO E DESENHO DE JANELAS

A dimensão e posicionamento das janelas são fatores que influenciam o controlo de energia que a casa despende, pois o seu correto dimensionamento e orientação permite criar um balanço adequado à entrada lumínica e à perda/ganho energético.

Paralelamente à entrada de luz por vãos generosos, permite uma redução substancial na utilização de luz artificial durante o período diurno. O controlo térmico pode ser dado através de elementos de sombreamento, permitindo ajustar a entrada de sol e a passagem de temperatura, em caso de vãos expostos diretamente à luz solar.

F — UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE CLASSE ENERGÉTICA A+++

Os projetos devem também eles contemplarem a escolha acertada dos equipamentos / eletrodomésticos com classes A+++, para consumir menos energia e se afigurarem como bons investimentos.

G — APLICAÇÃO DE LUZES DE BAIXO CONSUMO

Hoje em dia já nem se coloca em questão a utilização de luzes LED de extremo baixo consumo. Estas são de alta eficiência quando comparadas com as iluminações de há uns anos. Contudo, em fase de projeto, há que ter em consideração a especificação deste tipo de luminárias de forma a aprimorar a eficiência energética, tornando a casa ainda mais sustentável. Há que adequar a quantidade de iluminação para não sobre-dimensionar ou sub-dimensionar a iluminação em relação à função dos espaços projetados.

H — UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO ACERTADOS

A utilização de materiais devidamente controlados durante o seu fabrico, baseados em processos sustentáveis e com pouca utilização de energia no seu fabrico, assim como a aplicação de materiais locais, faz com que a sustentabilidade do projeto tome outra escala. A preocupação que se tem à nascença é fundamental para o sucesso do resultado. Os desperdícios de recursos e materiais excedentes é algo que deverá ser também considerado, pois evitando desperdiçar, permitirá utilizar corretamente os recursos disponíveis.

I — MADEIRAS NA CONSTRUÇÃO

No caso de utilização de madeiras em casas sustentáveis, estas devem ter origem certificada, ilustrando a origem de florestas sustentadas, assim como toda a cadeia produtiva e não do abate de árvores de forma desregularizada. A destruição e degradação das florestas é um problema, que tem de ser evitado, sendo a utilização de recursos que assegurem a vitalidade e manutenção deste bem precioso.

 

VANTAGENS E DESVANTAGENS DE CONSTRUIR CASAS SUSTENTÁVEIS

POUPANÇA A LONGO PRAZO

Com a implementação de todas as medidas descritas, a economia de custos de consumo de energia, no período de vida de uma casa sustentável, é certamente mais elevado ( como é exemplo a recurso a paredes de trombe ), pese embora do retorno efetivo a longo prazo.

Com a subida dos preços da energia, a produção de energia de auto-consumo, através da instalação de painéis fotovoltaicos ou por aplicação de turbinas eólicas, consegue-se efetivar uma grande redução de valor nas faturas de energia e, nestes casos, com o retorno do investimento a curto-prazo, pese embora o investimento inicial seja mais avultado.

Outro dos aspetos a ter em consideração é a dependência que se terá do clima, sendo que a eficácia destes sistemas está interligada com a existência de vento ou sol.

REDUÇÃO DO IMPACTO NO ECOSSISTEMA

A efetivação de poupança de energia aquando da construção da sua casa sustentável, com escolhas acertadas de materiais e técnicas construtivas, assim como pela posterior utilização cuidada, consegue minimizar a pegada ecológica.

Efetivamente os materiais sustentáveis são ótimos, mas com preços mais elevados e menos apetitosos aquando da compra, o que por vezes faz desistir destes métodos.

QUALIDADE DE VIDA E AMBIENTE NA CASA

Os espaços interiores das casas sustentáveis são efetivamente de elevada qualidade, quer ao nível de conforto térmico, como de ventilação natural, ou pela aplicação de materiais menos tóxicos, ou mais amigos do ambiente. Há um benefício claro na qualidade de vida e saúde dos residentes.

O TEMPO DE CONSTRUÇÃO

Infelizmente o tempo que leva não só a projetar, mas também a construir uma casa sustentável é naturalmente maior, pois o cuidado que se tem com todos os detalhes e implementação dos sistemas é superior à construção corrente. A mão de obra necessita de ser mais especializada. Certifique-se de que o empreiteiro que contrata, mesmo antes de assinar o contrato de empreitada, tem experiência deste tipo de obras, para poder também ele dar o seu contributo para a concretização do seu projeto.

Fale connosco para que o possamos ajudar a desenvolver o projeto da sua casa sustentável.

VAMOS FALAR DO SEU PROJECTO?